História do Anhembi

Treliças espaciais em fachada do Dutch Pavilion, na Expo 67, em Montreal

Treliças espaciais em fachada do Dutch Pavilion, na Expo 67, em Montreal

Foto: National Archives of Canada

T1

T2

T3

Como Se Ergueu Um Colosso Às Margens Do Tietê?

O projeto do Pavilhão de Exposições, criado e tocado por Jorge Wilheim, tinha um grande desafio de estrutura: 67 mil m² de metal deveriam ser erguidos a 13 metros de altura. "Queríamos uma estrutura metálica, provavelmente tubular, que nascesse do piso e se esgarçasse na altura dos treze metros, como uma árvore, mantendo a 'copa' horizontal e constituindo uma grande superfície de estrutura espacial." Relembra o arquiteto.

De maneira simples, mas muito perspicaz, Wilheim e sua equipe simularam a estrutura com palitos de fósforos: "havíamos construído uma primeira ideia da árvore estrutural e a mostrávamos a representantes de fornecedores. Um deles, da Alcoa, apontou uma estrutura semelhante, mas utilizada em fachada, em um pavilhão da Exposição Mundial que se realizava em Montreal".

Na mesma semana, Wilheim se dirigiu à Montreal, onde acontecia a Expo 67. Lá ele pôde conferir de perto diversas estruturas semelhantes ao que ele planejava para o Pavilhão de Exposições.

No dia 13 de dezembro de 1969, os trabalhadores estavam posicionados estrategicamente conforme a disposição dos 25 guindastes no terreno do Anhembi. Cada guindaste contava com um sistema de manivela, que deveria ser girada de forma sincronizada para que a estrutura subisse uniformemente. Um palco foi montado, armado de microfone, megafone e um pequeno sanitário próximo, tudo isso para ajudar no içamento, que levou cerca de 8 horas para ser concluído.

Manivelas dos guindastes no Pavilhão de Exposições
Caio de Alcântara Machado (dir.) e Jorge Wilheim (esq.) coordenando içamento.

Ao final do procedimento, já era possível vislumbrar o tamanho do feito: "No Anhembi, em oito horas tirávamos a prova do acerto do espaço criado! Ao sair do canteiro da obra, já bem longe, o motorista de táxi me perguntou: 'O que será aquela núvem brilhante pros lados da Ponte Grande?' Era a estrutura de alumínio suspensa em guindastes, aguardando o suporte das colunas, ao pôr do sol." Relembra o arquiteto.

VII Salão do Automóvel em 20 de novembro de 1970.